sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Um outro paradoxo(Na doutrina do sábado)

PARADOXO NA DOUTRINA SOBRE O SÁBADO

TRÊS(3) Perguntas para serem respondidas ao final do texto.

- O SÁBADO É O DIA DESCANSO DOS ISRAELITAS.
- O TEXTO NÃO É PARA IR CONTRA A GUARDA E SANTIFICAÇÃO DO MESMO.
- O QUE AQUÍ ESTÁ SENDO DITO, NÃO É PARA AFIRMAR QUE O SÁBADO
FOI ABOLIDO, OU QUE PAULO QUIS DIZER QUE FOI ABOLIDO.

É UMA QUESTÃO DE HONESTIDADE E SINCERIDADE,
PARA ENTENDER A BÍBLIA NO CONTEXTO GERAL.
Vamos lá:

TODOS OS INCIDENTES, CONTROVÉRSIAS, JULGAMENTOS, ACUSAÇÕES E PERSEGUIÇÕES DE JESUS E DOS DISCÍPULOS PELOS ESCRIBAS, FARISEUS E MAIORAIS DO TEMPLO, QUANTO AO SÁBADO, ERAM SOBRE O SÁBADO SEMANAL, conforme podemos ver nas citações bíblicas.

NESTES INCIDENTES ELES OS JULGAVAM DE VIOLAR O SÁBADO SEMANAL.

MATEUS 12
1 - Naquele tempo passou Jesus pelas searas num dia de sábado; e os seus discípulos, sentindo fome, começaram a colher espigas, e a comer.
2 - Os fariseus, vendo isso, disseram-lhe: Eis que os teus discípulos estão fazendo o que não é lícito fazer no sábado.
5 - Ou não lestes na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado, e ficam sem culpa?
8 - Porque o Filho do homem até do sábado é o Senhor.
11 - E ele lhes disse: Qual dentre vós será o homem que, tendo uma só ovelha, se num sábado ela cair numa cova, não há de lançar mão dela, e tirá-la?

MARCOS 3
2 E observavam-no para ver se no sábado curaria o homem, a fim de o acusarem.
4 Então lhes perguntou: É lícito no sábado fazer bem, ou fazer mal? salvar a vida ou matar? Eles, porém, se calaram.

LUCAS 6
6 - Ainda em outro sábado entrou na sinagoga, e pôs-se a ensinar. Estava ali um homem que tinha a mão direita atrofiada.
7 -E os escribas e os fariseus observavam-no, para ver se curaria em dia de sábado, para acharem de que o acusar.
9 - Disse-lhes, então, Jesus: Eu vos pergunto: É lícito no sábado fazer bem, ou fazer mal? salvar a vida, ou tirá-la?

LUCAS 13
10 - Jesus estava ensinando numa das sinagogas no sábado.
14 - Então o chefe da sinagoga, indignado porque Jesus curara no sábado, tomando a palavra disse à multidão: Seis dias há em que se deve trabalhar; vinde, pois, neles para serdes curados, e não no dia de sábado.
15 - Respondeu-lhe, porém, o Senhor: Hipócritas, no sábado não desprende da manjedoura cada um de vós o seu boi, ou jumento, para o levar a beber?
16 - E não devia ser solta desta prisão, no dia de sábado, esta que é filha de Abraão, a qual há dezoito anos Satanás tinha presa?

LUCAS 14
1 - Tendo Jesus entrado, num sábado, em casa de um dos chefes dos fariseus para comer pão, eles o estavam observando.
3 - E Jesus, tomando a palavra, falou aos doutores da lei e aos fariseus, e perguntou: É lícito curar no sábado, ou não?
5 - Então lhes perguntou: Qual de vós, se lhe cair num poço um filho, ou um boi, não o tirará logo, mesmo em dia de sábado?

JOÃO 5
9 - Imediatamente o homem ficou são; e, tomando o seu leito, começou a andar. Ora, aquele dia era sábado.
10 - Pelo que disseram os judeus ao que fora curado: Hoje é sábado, e não te é lícito carregar o leito.
16 - Por isso os judeus perseguiram a Jesus, porque fazia estas coisas no sábado.
18 - Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não só violava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus.

JOÃO 7
22 - Moisés vos ordenou a circuncisão (não que fosse de Moisés, mas dos pais), e no sábado circuncidais um homem.
23 - Ora, se um homem recebe a circuncisão no sábado, para que a lei de Moisés não seja violada, como vos indignais contra mim, porque no sábado tornei um homem inteiramente são?

JOÃO 9
14 - Ora, era sábado o dia em que Jesus fez o lodo e lhe abriu os olhos.
16 -Por isso alguns dos fariseus diziam: Este homem não é de Deus; pois não guarda o sábado. Diziam outros: Como pode um homem pecador fazer tais sinais? E havia dissensão entre eles.

PAULO AOS COLOSSENSES 2
“16 - Ninguém, pois, vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa de dias de festa, ou de lua nova, ou de sábados,...”

PERGUNTA 1

Se todos os incidentes, controvérsias, acusações e julgamentos E PERSEGUIÇÕES, referentes à suposta(falsa), violação do sábado por Jesus e pelos discípulos, referiam-se aos sábados semanais; Porque só em colossenses 2:16 e 17 , referem-se à sábados cerimoniais..?

Não aconteceu nenhum incidente quanto aos sábados cerimoniais, ou aconteceu?

PERGUNTA 2

Porque Paulo advertiu para não julgar ninguém quanto aos sábados cerimoniais, se não aconteceu nenhum incidente quanto a eles?

Não era essa a preocupação de Paulo. Ou era?

PERGUNTA 3

Depois do citado acima, podemos dizer que Paulo em Colossenses 2:16 e 17, estava se referindo a sábados cerimoniais?

Outra! Veja a opinião de renomado adventista, sobre o entendimento dos falsos mestres, quanto a dizerem que os sábados de col 2:16 e 17, são sábados cerimoniais e não semanais. Isto é desconcertante para os Adventistas!

OPINIÃO DE SAMUELLE BACCHIOCHI SOBRE CL 2.16-17

“O sábado em Colossenses 2.16: O tempo sagrado prescrito por falsos mestres referem-se como sendo ‘um sábado festival’ ou a lua nova ou um sábado. – ‘eortes e neomnia o sabbaton.’ (2.16). O consenso unânime de comentaristas é que estas três expressões representam uma lógica e progressiva seqüência (anual, mensal e semanal). Este ponto de vista é válido pela ocorrência desses termos... Um outro significativo argumento contra os sábados cerimoniais ou anuais é o fato de que estes já estão incluídos nas palavras ‘dias de festa...’Esta indicação positivamente mostra que a palavra SABBATON como é usada em Cl 2.16 não pode se referir aos sábados festivais, anuais ou cerimoniais”.

Determinar o sentido de uma palavra baseando-se exclusivamente em conceitos teológicos em prejuízo de evidências lingüísticas e contextuais é estar contra as regras de hermenêuticas bíblicas. Ademais, a interpretação que o Comentário Adventista dá à palavra ‘sábados’ de Cl 2.16 é difícil de ser sustentada, desde que temos visto que o sábado pode legitimamente ser tido como ‘sombra’ ou símbolos preparatórios de bênçãos da salvação.”“.

Retirado lo link:
http://www.cacp.org.br/adventismo/artigo.aspx?lng=PT-BR&article=63&menu=1&submenu=2


Que o Deus Eterno nos ilumine

Irmão Francisco
E-Mail (chicobetu@gmail.com.br)
Meu blog: http://cristaoslivres-francisco.blogspot.com/
-------------------------------------------------------------------------------------------------

Abaixo segue contribuição do irmão Paulo pinto, do Ministério Bereano, não distoante, pois no texto acima, do “Paradoxo na doutrina do sábado”, não há a afirmação que Paulo quis dizer que o sábado estava abolido, ou que o estava abolindo, apenas estava dizendo para não julgar alguém por causa de sábados, o que vale para hoje, também. Confesso que depois que li alguns textos que ele me enviou mudei um pouco a redação.

OBRIGADO PAULO!

Retirado da contribuição:
Adam Clarke, conhecido comentarista Metodista, é claro em afirmar:
“...O sábado semanal se apóia numa base mais permanente, tendo sido instituído no Éden,para comemorar o término da criação em seis dias. Levítico 23:38 expressamente distingue ‘o sábado do Senhor’ dos outros sábados. Um preceito positivo é bom porque é ordenado e deixa de ser obrigatório quando ab-rogado; um preceito moral é mandato eterno, por ser eternamente justo”.[1][15]
“O que foi dito anteriormente é suficiente para esclarecer que Paulo jamais pretendeu abolir, em Colossenses 2:16 e 17, a obrigatoriedade moral do quarto mandamento, que por ter sido instituído na criação (Gênesis 2:1-3) e fazer parte da lei moral (Êxodo 20:8-11), também é um mandamento ‘santo justo e bom’(Romanos 7:12)”.[2][16]
O Sábado semanal o qual Jesus guardou (Lc 4:16) é uma bênção; neste dia podemos repousar de nossas atividades, adorar a Deus com maior intensidade e estar mais tempo com a família. Este sábado semanal não foi abolido, pois é um presente de Deus para nós.
A cada sábado na nova terra iremos adorar a Deus:
[1][14] The Seventh-day Adventist Bible Commentary, vol. 7, pp. 205 3 206, citado por Alberto Ronald Timm em “O Sábado nas Escrituras” São Paulo: Instituto Adventista de Ensino; 1990, p. 70.
[1][15] Clarke, vol. 6, p. 524 – Idem, p. 70.
[1][16] Alberto Ronald Timm, “O Sábado nas Escrituras”, p. 70-71.Retirado do livro: ]> Escola BíblicaCaixa Postal 89690 - CEP 28610-972 - Nova Friburgo, RJ. mailto:escola.biblica@sisac.org.brTextos de Difícil Interpretação

[1][15] Clarke, vol. 6, p. 524 – Idem, p. 70.
[2][16] Alberto Ronald Timm, “O Sábado nas Escrituras”, p. 70-71.

25 comentários:

betoca disse...

Não obstante a tudo que o irmão Adam Clark, se referiu com relação ao seu conhecimento quanto à validade do sábado, eu gostaria de tecer algumas opiniões.
Não mos deveria, discutir a questão que palco do debate, as cenas da qual o Senhor Jesus Cristo foi acusado, de está transgredindo o Sábado, como prova de não ser mais válido o mesmo, como assim o deseja alguns.
Jesus estava ali, sofrendo por conta do quebrantamento, e sendo Ele o próprio quebrantado, da Lei como um todo. Porém deixou que se fizesse a crítica, por não ter Ele vindo naquele instante Julgar ninguém.
Mas eu peço aos irmãos que ainda estão em dúvida quanto à validade dos mandamentos, e assim incluo o 4º, que analise os seguintes textos.
Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.
E se alguém ouvir as minhas palavras, e não crer, eu não o julgo; porque eu vim, não para julgar o mundo, mas para salvar o mundo.
Quem me rejeitar a mim, e não receber as minhas palavras, já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o há de julgar no último dia. João 3: 17,47 e 48.
Devemos extrair dos textos bíblicos, o que é lição pra nós, como prova de uma realidade, e também saber distinguir o que o mesmo texto fala, daqueles que querem desaprovar o ministério de Jesus.
Então não o é, de forma alguma obtido, da leitura dos textos que o irmão se utilizou, para defender o paradoxo do Sábado, correlação com a doutrina de quem quer dizer, que quem opta por guarda o Sábado, errou na análise Bíblica.
O problema para aqueles que julgaram O Senhor Jesus, não foi o conhecimento do Sábado, como o é hoje, pra muitos, ou seja, a reivindicação desse mandamento.
Vejam! Eu creio na Santidade do Sábado, isso por ser Divino. Não é na santidade da organização registrada na terra, IASD, pois essa, ou os seus representantes, podem estar no mesmo pé de igualdade aos daquela época.
É diferente o debate aqui; se continuarmos nessa linha de pensamento, ofenderá nossos irmãos por defenderem algo que é bom, e nos tornará semelhante aos hipócritas e outras classes daquela época de Jesus.
Porém Jesus, quando voltar a essa terra, trará o juízo que se faz necessário. E isso estará de acordo com sua Palavra. Se crermos no autor do Sábado, então já estamos de acordo com o Mesmo. Virar a atenção para os homens que foram falhos, não foi e nem vai ser uma prova de que Jesus disse; Não! Não precisa mais obedecer a mandamentos. E o nosso inimigo invisível, está pronto a puxar brasa para sua sardinha. Ele sabe que se desacreditarmos em Cristo ou nos Seus Mandamentos, aí ele atinge o alvo. Ainda não foi dessa vez que ele me convenceu, espero em Jesus Cristo, que não será sempre.
O amor de Deus é maravilhoso, para me resgatar desse mundo infeliz. Meu coração está em Jesus, não nas pessoas que acham ser seus representantes, ainda que alguns nos comprovem ser.

Agradeço!
Ex-membro IASD
Gilberto G. Oliveira

Francisco disse...

Oi Gilberto,

Realmente existe esta preocupação de saber qual a religião verdadeira; o que às vezes nos deixa desnorteados.

Deve ser oportuno para o momento, lembrar o que tiago diz:

"PARA DEUS, O PAI, A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA É ESTA: AJUDAR OS ÓRFÃOS E AS VIÚVAS NAS SUAS AFLIÇÕES E NÃO SE MANCHAR COM AS COISAS MÁS DESTE MUNDO".Tiago 1:27 NTLH

Abraço

Do Irmão em Cristo

Francisco Alberto

Francisco disse...

OPINIÃO DE SAMUELLE BACCHIOCHI SOBRE CL 2.16-17

“O sábado em Colossenses 2.16: O tempo sagrado prescrito por falsos mestres referem-se como sendo ‘um sábado festival’ ou a lua nova ou um sábado. – ‘eortes e neomnia o sabbaton.’ (2.16). O consenso unânime de comentaristas é que estas três expressões representam uma lógica e progressiva seqüência (anual, mensal e semanal). Este ponto de vista é válido pela ocorrência desses termos... Um outro significativo argumento contra os sábados cerimoniais ou anuais é o fato de que estes já estão incluídos nas palavras ‘dias de festa...’Esta indicação positivamente mostra que a palavra SABBATON como é usada em Cl 2.16 não pode se referir aos sábados festivais, anuais ou cerimoniais”.

Determinar o sentido de uma palavra baseando-se exclusivamente em conceitos teológicos em prejuízo de evidências lingüísticas e contextuais é estar contra as regras de hermenêuticas bíblicas. Ademais, a interpretação que o Comentário Adventista dá à palavra ‘sábados’ de Cl 2.16 é difícil de ser sustentada, desde que temos visto que o sábado pode legitimamente ser tido como ‘sombra’ ou símbolos preparatórios de bênçãos da salvação.”“.

Retirado lo link:
http://www.cacp.org.br/adventismo/artigo.aspx?lng=PT-BR&article=63&menu=1&submenu=2

Postado em 27Jan2008

Alberto

antoniolutier disse...

Reconheço algo que é bom, quando usufruo da experiência espiritual que o conselho pode proporcionar. Ter um dia para descansar nos braços do Senhor e meditar sobre os negócios do Pai Celestial é muito bom, ainda mais, quando tal atitude gera obediência por imitar a Jesus.
No entanto muitos irmãos acabam testemunhando de forma errada o 4°
mandamento por não haver mais milharal próximo as igrejas, ainda que a igreja seja eu, e não a teocratica, e por não haver tambem mais templos aqui na terra, poi Deus
retirou-se daqui a muito tempo e prá finalizar, se somos sacerdotes
não precisamos de igrejas pois somos
o culto divíno itinerante, semelhante aos apostolos. Assim sendo
"vale o que esta escrito" não temos
que nos preocupar com a salvação
ela esta entalhada en nossos corações como cartas vivas e no modo
automático, andamos no Espírito Santo
somos guiados po Ele, e, como nosso chefe, que habita em nosso interior,
pelo seu sangue que nos lava, a quem
quiser beber tambem da agua viva, não temos um enderêço para adorar, adoramos sim no "caminho" em Espírito e em Verdade, como Jesus disse a Senhora
Samaritana junto ao Poço, lembram?
Pois bem, ela a mulher samaritana, tentou arrancar do Senhor Jesus
um endereço para o adora-Lo, e todos nós que lemos a Bíblia sabemos qual foi a resposta.
Foi A IASD?
ainda bem que não.
Os mandamentos ainda pode ser para
muitos uma necessidade real assim
como foi para o Jovem Rico sacerdote
mas,... somente faltou um pouquinho
para ser bom em suas conveniêcias.
Hoje porem, se ouvires a sua voz,...
E aqueles que o adoram, são os que seguirão para onde o Cordeiro for!
Tem ai da parte de Jesus algum endereço que Ele deu?
Na Bíblia não diz.
antonio campos - ex-adventista RJ
A Bíblia, somente a Bíblia e Jesus
nada mais. Amem!
Deus abençoe a todos os Irmãos.

Décio disse...

...SERIA A GUARDA DO SÁBADO UM MANDAMENTO MORAL, ESPECIAL, CONFORME TODAS AS CARACTERÍSTICAS QUE ELLEN WHITE DIZ TER O MANDAMENTO DO SÁBADO, SENDO QUE, PAULO ANUNCIOU TODO O CONSELHO DE DEUS E NÃO DEIXOU NADA DO QUE FOSSE ÚTIL ENSINAR AOS CRISTÃOS, E PAULO , NUNCA MANDOU GUARDAR O SÁBADO??? VEJAM ATOS 20:20-27:
“COMO NADA, QUE ÚTIL SEJA, DEIXEI DE VOS ANUNCIAR E ENSINAR PUBLICAMENTE E PELAS CASAS....PORQUE NUNCA DEIXEI DE VOS ANUNCIAR TODO O CONSELHO DE DEUS.” NÃO É ESTRANHO? PAULO DISSE QUE ANUNCIOU TUDO QUE FOSSE ÚTIL, (PROVEITOSO) TODO O CONSELHO(DESÍGNO) DE DEUS, E NÃO DESTACOU, NEM FALOU PARA GUARDAR O SÁBADO?

COMO DISSE A SRA ELLEN WHITE, GUARDAR O SÁBADO “IMPLICA EM SALVAÇÃO ETERNA”(comentário: existe então também salvação temporária??)ELA TAMBÉM DISSE QUE ESSE MANDAMENTO “BRILHAVA MAIS QUE OS OUTROS” , TINHA UM ANEL DUPLO DE LUZ...QUE É O “SELO DE DEUS”...E TUDO O MAIS... E O APÓSTOLO PAULO ESCREVEU 14 CARTAS(se contarmos Hebreus)DEIXANDO O SÁBADO DE LADO? NUNCA MANDANDO GUARDA-LO? SENDO ALGO "TÃO IMPORTANTE" QUE IMPLICA EM NOSSA SALVAÇÃO? ALGUÉM ESTÁ ERRADO...
ENTRE O APÓSTOLO PAULO E ELLEN WHITE, EU FICO COM O APÓSTOLO PAULO.
• Em Marcos 7:21-22 são listados 13 pecados. Jesus não mencionou a profanação do sábado.
• Em Romanos 1:29-32 são listados 20 pecados, mas nenhum deles é a violação do sábado.
• Em Gálatas 5:19-21 é uma lista de 15 pecados.nenhuma profanação do sábado.
• Em 2 Timóteo 3:1-4 é uma lista de 18 pecados, mas a violação de sábado, não foi mencionado uma única vez. NÃO É ESTRANHO????

Décio disse...

CONTINUANDO...
Aliás, sobre o domingo, disse a sra White:

"o primeiro dia da semana, um dia comum de trabalho que não possui santidade alguma.” (eventos finais pg 119).

"o sinal da besta é o dia de repouso papal” (evangelismo, pg 234).
A própria “profetisa” Ellen White disse que o domingo é um dia comum de trabalho e portanto, quem descansa, e não trabalha no domingo contém o sinal da besta. Por acaso os adventistas fazem do domingo “um dia comum de trabalho”? ; ou dia consagrado ao trabalho?? Eles passeiam com a família, vão pescar, vão à praia, festejam , vão ao parque, vão ao piquenique , etc, e descansam. O povo antigo de Israel não agia assim, agia? Pelo que se percebe na Bíblia, o povo judeu tirava dias de divertimento nos seus dias das festas fixas marcados em seu calendário, e em festas de casamento. Não há mandamento nem relatos do povo judeu ter o primeiro dia da semana separado para diversão, ou, diversão mesclada com descanso(shabbat).
Em um outro livro adventista, li a seguinte frase: “como seguidores da Bíblia, nós procuramos guardar o sábado da mesma forma como ele era guardado na antiguidade...” (sábado, o selo de Deus - capt.10 de Peter P. Goldschmidt) vejam, eles se preocupam em guardar o sábado como antigamente, mas não trabalham os outros seis dias, como antigamente!

Cadê o exemplo?
A administração da associação adventista, as escolas adventistas, as livrarias e muitas lojas adventistas, não trabalham no domingo, contrariando a própria sra white, quando disse que o domingo é um dia comum de trabalho!
Eles falam tanto em não trabalhar e guardar sábado, falam tanto que o domingo é um dia comum, pagão, falam tanto em decreto dominical e etc...e no entanto, esquecem que não trabalhando e fechando seus estabelecimentos aos domingos, (e nos feriados católicos) eles estão colaborando com a suposta “guarda” do domingo, colaborando com o tal “futuro decreto dominical”, colaborando com “Roma”, não é? Eles não seguem os feriados dos antigos Israelitas, com o argumento de que aqueles feriados eram exclusivos aos judeus; mas em contra partida, gozam e usufruem das folgas dos feriados católicos - pagãos. Gozam das folgas deste calendário romano-gregoriano, (o nome já diz, criado pelo Papa Gregório).
Criticam, criticam e criticam, mas na prática, adoram a “folginha pagã” né?! é como alguém dizer que é contra o cacau, mas adoooooora chocolate! é muita incoerência. CONTINUA...

Décio disse...

CONTINUANDO...
Eles não reclamam dos feriados pagãos-católicos que caem no seis dias de trabalho. Mas para serem coerentes com sua crença, eles deveriam é ir na contra-mão e dar o exemplo, fazendo do domingo(e outros feriados) um dia comum de trabalho. Mas por que não fazem? porque não seria conveniente. Pois isso seria muito trabalhoso, polêmico, incômodo e perderiam muitos alunos dos seus colégios, e não gozariam mais de feriadões. (mas não vale mais obedecer à deus do que aos homens? pois é...) nunca vi um movimento adventista revindicando o direito e o dever de trabalhar no domingo...
A maioria esmagadora dos adventistas trabalham 5 dias(segunda à sexta), vão ao culto no sábado pela manhã, à tarde participam de atividades da igreja; e no domingo... “tiram o dia de folga”, descansam, fazem Shabbat(repouso) na 1ª feira (domingo). É o único dia que se pode dormir até tarde, né? É o único dia em que se pode fazer o que quiser, sem preocupações do trabalho, sem regras do sábado, nada de paletó e gravata...um dia de folga realmente livre... é só relllaaaxx... (êta “santa” e “abençoada” folginha pagã papal sô!...)

Ora, quem trabalha e realiza obras em 5 dias, e, ou descansa o domingo, ou outro dia, sem ser o sábado, também quebra o mandamento. Essa parte dos versos, que manda trabalhar seis dias, fazem parte da lei, tanto quanto guardar o sétimo dia. O único dia de descanso semanal, de repouso (shabbat) ,o dia diferente dos outros seis rotineiros, segundo essa lei da antiga aliança, é o sábado.

Se no sábado, deve-se trocar o trabalho por descanso(shabbat),logicamente no 1º dia da semana deve-se trocar o descanso(shabbat) por trabalho!
Se é pecado se divertir, brincar, jogar bola, nadar e passear no sábado, também o é no domingo, pois a bíblia diz que são 06 (seis) dias consgrados ao trabalho, não tem um dia semanal consagrado ao lazer, e não há um segundo dia de repouso!!!

O argumento adventista:
Eles alegam que são seis dias para administrar atividades seculares dos homens e um dia separado para Deus. Acontece que quando Deus diz para, no sábado: não catar lenha(Num. 15:32-36), não carregar cargas(Jer.17:21), não comercializar(Nee. 13:15), não cozinhar(Êx.16:23), não buscar sustento(Êx.16:26-27), eles entendem perfeitamente. Mas quando Deus diz que seis dias trabalharás, e que são seis dias da semana consagrados ao trabalho,(Ez 46:1) daí, eles entendem da melhor maneira mais conveniente. CONTINUA...
.

Décio disse...

Então, os nossos amigos adventistas julgam lazer, divertimento e recreação como “trabalho”! Eles se agarram a esse argumento, como um náufrago se agarra a uma bóia no mar da incoerência. Como a questão é complexa, esse é o “az na manga” dos adventistas nesta questão; com a “super poderosa elástica e relativa” interpretação para o que é “trabalho”(e fazer o bem) tudo se resolve; vai depender da conveniência para o momento. Então no domingo, eles “trabalham o dia” fazendo por exemplo: 5 minutos de poda de planta, ou, dão uma lavadinha no carro, ou, lavam uma louça, ou, telefonam para o chefe, ou, varrem a varanda...e pronto; trabalhou o domingo, o domingo ficou “consagrado” ao trabalho; e o resto do dia vão passear ou descansar. Muitos, não realizam tarefa alguma. Uns ainda dormem ou assistem tv o dia todo. Assistir tv virou obra de trabalho... chega a ser cômico! (e curioso: dar aulas de música no sábado à tarde na igreja, não é trabalho...e para muitos, até sexo virou “trabalho” e é proibido no sábado.)

Mas será que lazer e divertimento é trabalho? Quando um pai brinca de bola com seu filhinho de 4 anos(ou outra criança), isso é trabalho, ou é uma demonstração de carinho, afeto, atenção, uma obra de amor? Se eu pratico o amor, ( e Deus é amor)estou cuidando de meus afazeres seculares? O fato é que o mandamento nada fala sobre brincadeiras e lazer ser trabalho. Algum adventista pode argumentar:“ os judeus não se divertiam no sábado...” pode ser, mas do mesmo modo, os judeus não separavam a 1ª feira para divertimento e descanso; Mas daí, os amigos do sétimo dia não querem copiar os judeus, não é? O contexto da proibição é sobre trabalho, trabalho mesmo, todo e qualquer trabalho, atividades diárias, manutenção de bens e sustento; não diversão. Note o leitor que os servos deviam descansar; descansar de que? da fadiga, da rotina dos seis dias de trabalho. Será que as patroas adventistas dão folga para empregadas (servas) só no sábado? Não, dão também no domingo...mas vemos na Bíblia que os servos descansavam no sábado, e não na “1ª feira”.
Do mesmo modo, os animais; vemos que até os animais tinham de descansar e não podiam ser colocados a fazer trabalho algum. Mas eu fico pensando...e se uma égua jovem, depois de trabalhar seis dias , no sábado de manhã estando solta no pasto, começa a brincar com seu filhote...? Ora, se nem os animais podiam trabalhar , e se, recreação e lazer é “trabalho”, então o animal que brincasse “profanava” o sábado? é um absurdo. Ou então talvez, os animais tenham um “bônus” para o sábado, que os adventistas não tem; os animais podem “trabalhar” brincando no sábado. CONTINUA...

Décio disse...

CONTINUANDO...
Para os amigos adventistas cumprirem TODO o quarto mandamento, eles devem procurar trabalhar domingo. Áh..., mas não tem expediente na empresa no domingo...né? então por isso eles podem se divertir o dia todo? nada disso; que passem o dia realizando manutenções, trabalhos e tarefas em casa(e nada de divertimento), para cumprir a outra parte da lei: seis dias consagrados ao trabalho!! O amigo adventista não gostou? que leia a Bíblia; veja se acaso a 1ª feira(domingo) é um dia consagrado à folga, lazer, passeio, repouso e recreação...veja!
Veja se o povo judeu que seguindo sua lei, se eles deixavam de trabalhar um dia da semana para gozar a folga de um feriado pagão do calendário romano...veja! (veja se o povo judeu, saía para acampar em feriado romano, como os adventistas fazem no carnaval...) eu não achei tal atitude na Bíblia, se alguém achar, por favor, mostre-me. E depois, ainda escrevem: “nós procuramos guardar o sábado da mesma forma como ele era guardado na antiguidade...” chega a ser piada!!

Desde a tão falada e polêmica mudança do sábado para o domingo, os adventistas aderiram parte da guarda dominical: ou seja: a folga pagã, o feriado, o segundo “shabbat”, o shabbat livre, sem regras; dessa parte eles não reclamam e nem se revoltam. Eles adoram; muitos ainda criticam as pessoas que não trabalham no domingo, por ser domingo...mas eles também não trabalham! não realizam a 1ª feira, não cumprem os seis dias como manda o mandamento!
Amigo adventista: se você é contra o “sinal da besta” só na hora de criticar as outras crenças, mas goza da “folginha bestial”, você está sendo incoerente e hipócrita! Se você é contra o domingo(ou guarda dele), seja contra integralmente e não pela metade. Trate de realizar trabalhos e tarefas em casa ou onde quiser, mas trabalhe e cumpra os seus seis dias de trabalho. Sugestão: que tal no domingo ir até a casa de uma senhora idosa e carente para ajudar a consertar sua cerca ? pintar o muro do asilo? Ah..., mas isso seria trabalhar ou fazer o bem? Se for fazer o bem, você não vai cumprir os seis dias de trabalho, não é? Ora, use a sua interpretação super flexível para a palavra “trabalho”.

A verdade é uma só: os adventistas exaltam a guarda do sétimo dia, mas não querem trabalhar todos os outros seis!!

Onde está o “dia comum de trabalho” senhores adventistas? onde está a 1° feira da semana consagrada ao trabalho, senhores adventistas???

Que deus tenha misericórdia de tanta incoerência...

Décio – (um aprendiz de Cristão)

alexandre fernandes disse...

Ola Amigos
Meu filho estuda na escola adventista, mas não seguirá estes preceitos atrasados.
O Cristo veio. A promessa foi cumprida.
Vivo em Cristo. Amo meu proximo
Amo meu filho. Trabalho aos sabados para dar-lhe sustento.
Que pecado cometo nisto.
Abraço a todos.
Alexandre Fernandes

Francisco A. de Azevedo disse...

Oi Alexandre Fernandes,

Saudações Cristãs!

Referente ao seu comentário acima, só dizer que sou solidário com sua atitude, ainda mais que se você não trabalhar não vai poder pagar a escola e sustentar sua família.

Cito um exemplo:

Há algum tempo um irmão resolveu trabalhar no sábado, pois precisava sustentar sua família. O diretor do Grupo que ele freqüentava me disse que pretendia levá-lo a disciplina na Igreja por transgressão ao sábado.

Conversei com este diretor e disse-lhe que seguisse o conselho de Paulo em Colossenses 2:16 e 17 e não julgassem aquele irmão por causa do sábados; mas que o aconselhasse a continuar indo na Igreja aos domingos e quartas feiras.

Mesmo não sendo nenhum líder na Igreja fui ouvido.

Ele continua na Igreja até hoje.

Continue participando com comentários.

Paz, saúde, luz, graça e Salvação de Deus que há em Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!

de seu irmão em Cristo,

Alberto Azevedo

Gleidson Bomfim disse...

Olá irmãos em Cristo!

Em primeiro lugar, gostaria de parabenizar ao idealizador do blog, haja vista qué é muito importante ter um espaço aberto a discussões produtivas, sem ofenças, e contrapondo de forma lógica e estruturada as definições apresentadas.

No entanto, gostaria de ratificar, que a liberdade religiosa é constitucionalmente pregada no nosso país e que TODOS têm direito a ter seu pensamento religioso respeitado. Ou seja, se eu não sou adventista do sétimo dia eu não devo ofender as cremças dos que são, haja vista que, agindo desta forma, eu estaria cometendo um crime, não religiosamente falando, mas penalmente dizendo.

Resposta ao Sr. Décio.

Eu sou Adventista do Sétimo dia e exijo respeito para com a minha liberdade religiosa, desta forma, para que os demais leitores do Blog não pensem que os Adventistas do Sétimo Dia são "preguiçosos" e "incoerentes" é que se faz necessária a devida refutação do que foi dito pelo Sr. Décio.

Ao contrário do que foi dito, os Adventistas do Sétimo Dia não elegeram o "conveniente" domingo para "descansar" e guardar, até porque se considerarmos o texto do "aprendiz de cristão" nenhuma pessoa poderia ter férias, folga no serviço ou, até mesmo, apresentar atestados por estar doente. Irmão, argumentar com conjecturas não irá melhorar a causa de Deus, uma vez que não existe a necessidade de se pedir, ou demonstrar novamente o que está escrito. Não era preciso que no novo testamento se escrevesse novamente os 10 mandamentos, uma vez que Cristo veio ao mundo não para abolir a lei e sim para cumpri-la.

Mateus 5:17 a 19 "17 Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir.
18 Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido.
19 Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus."

O verso 19 é ainda mais claro quando o "mestre dos mestres" diz quanto a magnitude dos que cumprem e ensinam os mandamentos de Deus.

A lei mosaica abolida em Colossenses 2 é a cerimonial, mas os 10 mandamentos NÃO CONFIGURAM A LEI CERIMONIAL, pois esta é a lei de DEUS, dada ao seu povo, cumprida em sua plenitude por JESUS CRISTO e jamais despojada pelo PAI CELESTIAL.

Seguindo a linha descritiva do Sr. Décio temos o que o apóstolo Paulo escreveu em Romanos 3:31 - "Anulamos, pois, a Lei pela fé? Não, de maneira nenhuma! Antes, confirmamos a Lei." Ora, neste caso vimos que o apóstolo Paulo se referiu a uma lei que não deve ser anulada pela fé, que seria a mesma lei de Efésios 6:2 - "Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa...". Qual seria a lei que Paulo estaria pregando em efésios 6:2? A abolida por ele em Colossenses? NÃO, a lei de efésios é a que nós conhecemos como 10 mandamentos e que JAMAIS será abolida.

CONTINUA

Gleidson Bomfim disse...

CONTINUAÇÃO


A guarda do sábado está estipulada no 4° mandamento, portanto tem fundamento na lei viva, e esta deve ser observada. eu costumo falar que o meu sábado é o dia mais corrido da semana, pois os preparativos na igreja, os cantos do quarteto em que participo, os ensaios, distribuição de folhetos, culto matinal e jovem. Ora, não era pra eu DESCANÇAR no sábado? Porque esse seria o meu dia mais agitado? Simplesmente porque o descanço bíblico é o das atividades normais e diárias, nas quais se encontram o trabalho, até porque a bíblia não diz "não trabalharás" e sim não farás nenhuma obra, daí subentende-se o trabalho.

Quanto ao trabalho no domingo, ressalto que, nenhum adventista se escusa de trabalhar neste dia se assim for necessário, inclusive eu, costumeiramente, trabalho nos domingos e certamente nenhum adventista tem como critério o amparo do 4º mandamento que diz "não fara nenhuma obra" para "folgar" no domingo, a questão de não trabalhar é a mesma de não trabalhar nas férias, ou seja, se inexiste a necessidade de trabalhar no domingo eu é que não vou trabalhar, não que eu ache que isso vai contrariar minhas "convicções religiosas", é porque direitos trabalhistas é isso mesmo, te dá férias e tal. Daqui a pouco o Sr. Décio vai estar defendendo que nós temos que devolver o 13º salário para o empregador, já que eu não trabalhei eu não posso receber "né"?

Quanto aos feriados mantenho minha opinião do parágrafo acima, mas ressalto que neste carnaval estive à frente de um retiro espiritual e orei muito para que o Espirito Santo tocasse os "foliões" e que os mesmos se arrependessem, porque acredito que essa é a funçao do Cristão, independente de credo, nós devemos nos apoiar em Cristo e buscar salvar o maior número de pessoas possíveis.

Ao Sr. Décio ressalto que na "hermenêutica bíblica" existe uma diferença bem razoável entre a expressão "não trabalharás" para "não farás nenhuma obra" conforme o verso 10 de Êxodo 20. Além de que o verso 8 do mesmo capítulo diz em "lembra-te do dia de Sábado para o santificar", neste caso o que seria santificar? Qual é o significado de santo? Segundo o dicionário priberam(http://www.priberam.pt/dlpo/definir_resultados.aspx?pal=santos):
"santo
adj.
adj.
1. Essencialmente puro, perfeito em tudo.
2. Que vive na lei de Deus.
3. Bem-aventurado, sagrado.
4. Eficaz; que cura.
5. Santificado (dia).
6. Inocente; imaculado; inviolável.
7. Dedicado a Deus.
s. m.
8. Indivíduo canonizado.
9. Indivíduo que morreu em estado de santidade.
10. Homem de extraordinária bondade."

Acredito que os adventistas não santificam o domingo, não é mesmo Sr. Décio? Até porque para nós existe uma diferença entre dia "santo" e dia "comum".

De antemão peço desculpas se afrontei alguma religião, mas, ressalto, que esta é a opinião ideológica da doutrina Adventista do Sétimo Dia. O que não quer dizer que eu esteja tentando convencer alguém a virar adventista, o que escrevi foi apenas a defesa do meu ponto de vista e, ressalto, aceito contraposições, desde que seja respeitada minha liberdade religiosa, e a minha consequente liberdade de credo.

Mais uma vez agradeço ao Blog pela oportunidade e espero, sinceramente, poder ter um encontro muito especial, com cada um que aqui se manifesta, e que apenas lê também, lá nas mansões celestiais, independentemente de credo.

Um abraço a todos.

Décio disse...

AO PREZADO AMIGO GLEIDSON BONFIM:

Amigo; depois que enviei o texto para o blog, não observei a publicação. Ela ficou faltando a primeira parte, onde esclarece umas coisas. Observe que meu texto, ele começa com um “continuando...”, mas não se refere ao texto antigo de 18 de julho de 2009, mas é a continuação de um novo artigo, de 21 de fevereiro a qual não foi publicado por inteiro; por falha minha ou na publicação, eu não sei. Houve uma falha. Eis aqui, o início, a parte que falta: ( aproveito para pedir ao Alberto, a gentileza de se possível, apagar o texto parcial e publicar o texto completo, obrigado.)


Título: Os adventistas e a outra parte da lei... dois shabbats ?

Antes de tudo, gostaria de deixar claro aqui que sou apenas um pesquisador e observador e admito que posso estar errado em alguns pontos deste texto. Também não quero generalizar, meus comentários vão para aqueles amigos adventistas que estão sempre prontos a apontar dedos, julgar e interpretar a crença dos outros como errada, e a deles, como a única detentora da verdade absoluta. E não quero aqui focar exatamente a questão da guarda do sábado, mas uma questão que me chama a atenção, é a questão do cumprimento integralmente do 4º mandamento. Lemos no 4º mandamento do decálogo, a frase: “seis dias trabalharás...”
Os adventistas se preocupam tanto com a guarda do sábado, e “esquecem” essa outra parte da lei. ou seja: eles “guardam” o sábado, e “folgam” no domingo, quando a lei fala, que deve haver seis dias de trabalho. Vejam, os adventistas tem dois “shabbats”, um para guardar religiosamente, e outro para folgar, descansar, se divertir, passear; coisa que a Bíblia nunca mostrou.
Observem as passagens Bíblicas:
Vejam, êxodo 20:11 diz: “porque em seis dias fez o senhor o céu e a terra...” (seis dias iguais, de trabalho, Deus não brincou, não se divertiu, não passeou, e principalmente: não descansou, no 1º dia da semana).
Êxodo16:23 diz: “amanhã é repouso,sábado santo ao senhor;” (repouso do dia-a-dia é no sábado. o único dia diferente, é só o sábado. “Amanhã é repouso” , e não: “e depois de amanhã, se quiser, também”).
Êxodo 35:2 afirma: “seis dias se trabalhará...” (seis dias são iguais, seis dias de trabalho!)
Lev. 23:3 diz: “seis dias se fará trabalho...” (novamente, seis dias iguais de rotina, de trabalho!)
Agora vejam, Ezequiel 46:1 deixa bem claro: “eis o que diz o senhor javé: o pórtico do átrio interior que fica fronteiro ao oriente será fechado durante os seis dias consagrados ao trabalho. abrir-se-á no dia de sábado, assim como na lua nova.” Ezequiel 46:1 não deixa dúvidas quanto ao destino dos outros seis dias da semana: consagração ao trabalho! ou seja, eram seis dias úteis, de trabalho, e um shabbat. não eram 5 dias úteis, 1 dia de guarda religiosa e 1 dia de “liberou geral”. não estava escrito: “no 1º dia da semana farás o que quiser, cinco dias trabalharás e guardarás o sétimo”.
E eles mesmos não alertam que o domingo é, como está na bíblia, o 1º dia da semana? a “1ª feira” ? no contexto do quarto mandamento, e em outras passagens do A.T sobre o sábado, vemos que 6 dias são iguais e comuns sendo só o sábado, o dia diferente. mas os adventistas, fazem do domingo um segundo dia diferente. continua...

Décio disse...

Continuando...
-E eu respeito todas as crenças, e meus comentários não são para ofender ninguém. eu falo do ensino de doutrina, através do qual, muitos adventistas(não todos) que adoram criticar outras crenças, principalmente a católica, com frases do tipo “grande prostituta”, “marca da besta”, e outras crenças sendo “filhas da prostituta”. O sr exige respeito, ok. Eu respeito; mas para o sr pensar no assunto, quando eu era adventista, um católico me disse a mesma coisa: “eu exijo respeito e não admito que chame minha igreja de prostituta e nem a do meu amigo, de filha da PT#*...” para exigir respeito, devemos respeitar. Não falo do sr ou das pessoas sr Bomfim, são os ensinos, os ensinos desreipeitam e apontam dedos, fazendo com que pessoas errem.

-O que falo do domingo para os adventistas, nada tem haver com férias e atestados. Tem haver com cumprimento da parte da lei do quarto mandamento, que observo, é deixada de lado.
Agora sobre Mateus 5:17 a 19, lhe explico:De que lei falava Jesus em Mateus 5:17-20 ?
Essa passagem(Mateus 5:17-20), acontece durante o sermão do monte. Que começa em Mateus capt 5:1 e vai até o capt 8:1.(leia). Note que durante o discurso de Cristo,ele cita, completa, muda, explica,faz observações sobre regras da lei que foram dadas aos antigos, que tanto estavam nas tábuas de pedra, como no livro. Veja:
Em Mat. 5:21-26, Jesus fala sobre não matar...que estava no decálogo.
Em Mat. 5:27-32, Jesus fala sobre o adultério...que estava no decálogo.
Em Mat. 5:33-37, Jesus fala sobre os juramentos...que estava no livro da lei
(Lv 19:12, num 30:2, deut 23:21)
Em Mat 5:38-42, jesus fala sobre a vingança...que estava no livro da lei
(ex 21:24, lv 24:20, deut 19:21)
Em Mat 5:43-48, Jesus fala do amor ao próximo...que estava no livro da lei
( lv 19:18). E esse mandamento é considerado por Jesus, o segundo mais importante de todos. Leia desde o início do sermão do monte(mat 5:1).
Veja que Jesus começa a falar da lei no verso 17, e depois logo no verso 21, ele começa a citar preceitos da lei. Note que Jesus citou 5 normas, 5 mandamentos: 2 do decálogo e 3 do livro; e todos são preceitos “morais”. Com isso, vemos claramente que a lei da qual falava Jesus, e a moralidade que ele ensinava, não era só das tábuas de pedra. Jesus se referia à lei como um todo. (continua...)

Décio disse...

O cumprimento da lei:
(mateus 5:17-20)-- nesta passagem, diz o ensinamento dos adventistas que Jesus veio para seguir a lei de deus, que segundo eles, são só os dez mandamentos. Na verdade a expressão “lei e os profetas,”significa todo o at. (ver biblia de estudo-sbb pg 937) quando disse Jesus: “cumprir”, isso significa que ele veio cumprir aquilo que a lei e os profetas (a.t)diziam. Cumprir no sentido de cumprimento da promessa; cumprimento do dever, daquilo que estava previsto sobre Ele, veja o verso 18: “...nem um i ou til jamais passará até que tudo se cumpra.” Jesus nasceu sob a lei ,seguiu a lei, cumpriu a lei, morreu pela lei.(porque segundo a lei, Jesus blasfemava se auto denominando filho de deus e profanava o sábado.), pois o fim da lei é cristo(Rm 10:4). Quando Ele disse: até que o céu e a terra passem...esse “até”, não está falando do fim da terra e do céu, até mesmo porque, a Bíblia nunca disse que o céu acabaria. Esse “até” não é no sentido de tempo, mas tem o mesmo sentido quando alguém diz, por exemplo: “até que um elefante azul caia na minha cabeça, eu não retiro o que eu disse!” Ou então: “até que a galinha crie dentes, eu te darei o que queres...” Ou seja, Jesus estava dizendo que, mesmo que o mundo todo e o próprio céu acabassem, ainda assim, nada cairia da lei até que tudo se cumprisse. Jesus quando aqui na terra, veio trazer a boa nova, cumprindo o antigo pacto, ele não veio destruir a lei e as profecias, nada passaria da lei até que tudo fosse cumprido. E Jesus veio cumprir; e ele cumpriu. Se já cumpriu, já passou. Ele não veio destruir a “lei e os profetas” até que tudo fosse cumprido. Jesus cumpriu tudo o que dizia a lei e as profecias. Veja lucas 24:44: “a seguir, jesus lhes disse: são essas as palavras que eu vos falei, estando ainda convosco: importava se cumprisse tudo o que de mim está escrito na lei de moisés, nos profetas e nos salmos.”


-Sobre Colossenses 2 e lei cerimonial: lei moral...lei cerimonial...lei de Deus...lei de Moisés...divisão que não existe na Bíblia. (se o sr quiser, lhe mostro um estudo interessante sobre Colossenses 2:16-17).
Lei de Deus, Lei de Moisés, Lei do Senhor, Livro da Lei... no contexto Bíblico, são sinônimos.
Vejam alguns exemplos:

Em Ex 13:9, separar o primogênito, era seguir a Lei do Senhor...
Em Josué 24:26, o livro é chamado de livro da Lei de Deus...
Em neemias 8:8 e18, o livro da lei é chamado de livro da Lei de Deus...
Em neemias 10:28-39, vários preceitos da “lei de Moisés”, são considerados como ordens da lei de Deus...
Em Neemias 9:3, é dito “...leram no Livro da Lei do Senhor...”
Em 1 crônicas 22:11-13, Lei do Senhor são os estatutos dados a Moisés...
Em 2 crônicas 31:3, leis de Moisés estão escritas na Lei do Senhor, e holocaustos são normas da lei do Senhor...
Em 2 crônicas 17:9, o livro da Lei é chamado de livro da Lei do Senhor...
Em 2 crônicas 34:14, o livro é chamado de livro da lei do Senhor...
Em Lucas 2:21-24, lei de Moisés é a mesma Lei do Senhor...
Em Lucas 2:39, preceitos da lei de Moisés,são ditas como da Lei do Senhor...

Em Josué 23:6, o livro é chamado de livro da Lei de Moisés (besêpher torath mosheh)
E logo em Josué 24:26, o livro é chamado de livro da Lei de Deus(besêpher torath 'elohiym )
(VEJA E CONFIRME NO HORIGINAL HEBRÁICO).

Décio disse...

• Neemias 8:1, 8, 14, 18¬ "Em chegando o sétimo mês, e estando os filhos de Israel nas suas cidades, todo o povo se ajuntou como um só homem, na praça, diante da Porta das Águas; e disseram a Esdras, o escriba, que trouxesse o livro da lei de Moisés, que o Senhor tinha prescrito a Israel. . . . Leram no Livro, na lei de Deus, claramente, dando explicações, de maneira que entendessem o que se lia. . . . Acharam escrito na lei que o Senhor ordenara, por intermédio de Moisés, que os filhos de Israel habitassem em cabanas, durante a festa do sétimo mês. . . . Dia após dia leu Esdras do livro da lei de Deus, desde o primeiro dia até ao último; e celebraram a festa por sete dias; no oitavo dia houve uma assembléia solene, segundo o prescrito."
Quem lê e analisa esse capítulo de Neemias, percebe que se tratava de um único livro. E vemos que Esdras lia o livro como sendo da lei de Moisés, e depois o livro é chamado de livro da lei de Deus. A Bíblia nunca disse nem deixou a entender que existiam dois livros, um “de Moisés” e outro “de Deus”. até porque, a “lei de Deus” não estava escrita nas pedras? Como então que a Bíblia mostra que as leis de Deus estavam no livro?

A Bíblia nunca falou em Leis divididas...as expressões são sinônimos da mesma e única Lei.

Em Marcos 7:10 diz: “POIS MOISÉS DISSE:HONRA TEU PAI E TUA MÃE; E: QUEM MALDISSER AO SEU PAI OU SUA MÃE, MORRERÁ.” (honrar pai e mãe é o quinto mandamento, está em EX 20:12. vemos nesta passagem,uma “lei de Deus”,e no entanto se diz que “Moisés disse”)

Em Mateus 15:4, diz: “PORQUE DEUS ORDENOU: HONRA TEU PAI E TUA MÃE;E QUEM MALDISSER A SEU PAI OU SUA MÃE SEJA PUNIDO DE MORTE.”(no quinto mandamento NÃO está escrito que quem maldisser seus pais deve ser punido com a morte, isso está no livro da Lei (lev 20:9) e no entanto se diz que “Deus ordenou.”)

Em marcos é lei de Moisés...em Mateus é lei de Deus...e ambas as leis (que se referem à honrar os pais, o quinto mandamento) dizem a mesma coisa.


- Sobre Romanos 3:31: nessa passagem, a idéia adventista, é de que a lei que Paulo fala, são só os dez mandamentos das pedras. Para entendermos o contexto, devemos analisar desde o verso 19, quando Paulo começa a falar da lei nesse capítulo. Nessa passagem Paulo está dizendo que a lei é confirmada para dar o testemunho de que somos justificados pela fé, não pelas obras da lei, pois a lei dá o conhecimento do pecado, faz com que as pessoas saibam que são pecadoras (vrs 20-21).mas não basta só saber e reconhecer que é pecador, é preciso ter fé, pois através dela, podemos cair na graça de Deus. E no verso 31, Paulo está introduzindo o assunto do capt. 4, onde mostra que a lei tem valor, porque se entendida corretamente, ensina que Deus nos aceita por meio da fé, da crença, como se pode ver no exemplo de Abraão(Rm4:1-14). Se em Rm 3:31, Paulo está falando só da dita “lei moral”, o que dizer do verso 27 ao 30 ? Paulo diz que o homem é justificado pela fé, independentemente das obras da lei(a pessoa é aceita por Deus por meio da fé e salvo por sua graça, e não por fazer o que a lei manda.) agora pergunte aos adventistas se seremos justificados e salvos se não guardarmos o sábado, segundo a lei... E se for como querem os advts, quer dizer então que nos versos 27 ao 30 Paulo falava da lei cerimonial, e de repente, no verso 31, ele muda e fala da lei moral...??? sendo que nem Paulo, nem toda a Bíblia nunca falou em divisão de leis...E todos os leitores têm que entender assim? Paulo queria e sabia, que os leitores fariam essa divisão? Paulo na verdade falava da lei à moda antiga, da lei da antiga aliança, a lei teve seu valor, mas agora não estamos mais debaixo da lei, mas sim da graça, somos filhos da nova aliança, do novo testamento.(Rm 6:13-15) (2 cor 3:6-18).

Décio disse...

(continuando...)
A lei que vocês INTERPRETAM como eterna, e jamais abolida, Paulo chamou de MINISTÉRIO DA MORTE!( 2 Cor. Capt 3 ).

E o sr citou Rm 3:31, ok, agora preste atenção por favor:

Em Rm 7, será que Paulo fala de dois grupos de leis? Vamos fazer uma pequena análise:
Romanos 7:4-7( com grifos meus)
"Assim, meus irmãos, também vós morrestes relativamente à lei, por meio do corpo de Cristo, para pertencerdes a outro, a saber, aquele que ressuscitou dentre os mortos, e deste modo frutifiquemos para Deus. Porque, quando vivíamos segundo a carne, as paixões pecaminosas postas em realce pela lei, operavam em nossos membros a fim de frutificarem para a morte. Agora porém, libertados da lei, estamos mortos para aquilo a que estávamos sujeitos, de modo que servimos em novidade de espírito e não na caducidade da letra. Que diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum. Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça, se a lei não dissera: Não cobiçarás."
Esta passagem claramente diz que morremos para a lei e estamos, portanto, "libertos da lei". A lei de que Paulo falava incluía os dez mandamentos, porque no versículo 7 ele citou: "Não cobiçarás" como uma das leis.

Analise as palavras de Paulo : “Agora porém, libertados da lei, (NOTE QUE PAULO ESTÁ FALANDO DA MESMA LEI QUE ELE FALA NO INÍCIO,e SE MORREMOS P/ A LEI, ESTAMOS LIVRES DELA)estamos mortos para aquilo a que estávamos sujeitos, de modo que servimos em novidade de espírito e não na caducidade da letra. Que diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum”. (SERÁ QUE AGORA PAULO FALA DE OUTRA LEI? MUDOU DE REPENTE DE LEI? NÃO, POIS VEMOS QUE SUAS PERGUNTAS REFEREM-SE AO QUE ELE DISSE ANTES. PAULO FAZ AS PERGUNTAS QUE OS SEUS LEITORES FARIAM E JÁ RESPONDE. ELE INDAGA: SE ESTAMOS LIVRES DA LEI, É PORQUE ELA ERA PECADO? CLARO QUE NÃO.) “Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça, se a lei não dissera: Não cobiçarás." (SERÁ QUE PAULO MISTUROU TIPOS DE LEI DISTINTAS E ELE SABIA QUE SEUS LEITORES IRIAM SEPARA-LAS E ENTENDER ESSES VERSOS DO MODO COMO QUEREM OS ADVTS, SENDO QUE A BÍBLIA NUNCA TRATOU DA LEI DIVIDIDA? PAULO MISTURAVA CONTEXTOS?
PAULO ESTÁ SEMPRE SE REFERINDO A UMA ÚNICA LEI: “... morrestes relativamente à lei... em realce pela lei... libertados da lei... É a lei pecado?.... por intermédio da lei...se a lei não dissera: Não cobiçarás." Paulo mostra que “não cobiçarás” faz parte da lei da qual estamos livres..e onde estava escrito isso? Nas tábuas.

- Ah, então podemos cobiçar? Lógico que não! mas nós não cobiçamos , não porque estava escrito nas pedras da antiga aliança, pois somos filhos da livre(Gal 4:31), da nova Aliança, e na Nova Aliança está escrito que isso é errado pois vai contra a lei régia: amar o próximo como a ti mesmo; o segundo mandamento-base, que guardava e trazia a novidade do Espírito.

NEM PAULO, NEM NINGUÉM NA BÍBLIA, NUNCA FALOU EM LEI DE DEUS E LEI DE MOISÉS COMO SENDO 2 LEIS SEPARADAS.(continua...)

Décio disse...

(CONTINUANDO...)
-Quanto ao que o amigo disse de trabalhar no domingo, veja o que você mesmo escreveu: ” A guarda do sábado está estipulada no 4° mandamento, portanto tem fundamento na lei viva, e esta deve ser observada”. “se inexiste a necessidade de trabalhar no domingo eu é que não vou trabalhar...porque direitos trabalhistas é isso mesmo...”
Ora, meu amigo, então quando é para guardar o sábado, é um mandamento de Deus...mas se é para trabalhar SEIS DIAS, COMO DIZ O MANDAMENTO, direitos trabalhistas anulam o mandamento na "lei viva"? quando é para guardar sábado, voçe segue, mas quando a lei diz para trabalhar seis dias, voçe pula essa parte?

E eu não falo só do trabalho de sustento, no meu texto deixo isso claro e a Bíblia fala de trabalho e tarefas em modo geral. Aliás, se o sr não trabalha, não executa nenhum trabalho ou tarefa no domingo, o sr está concedendo e ajudando em parte, a ratificação da “marca da besta”, que é a guarda do domingo. E é claro que os adventistas não santificam o domingo, mas ao mesmo tempo, também não fazem dele um dia COMUM DE TRABALHO, como disse a sua profetisa Ellen white!
-Sobre Êxodo 20, o contexto é sobre trabalho, tarefas, fadiga, rotina, atividades de todo e qualquer trabalho. Aliás, os amigos adventistas só falam de Êxodo 20, e parece que esqueçem de Deut. 5. Em Deut. 5:2-5, afirma que o pacto do decálogo não foi feito com os antepassados,(e isso contraria E.White) mas com o povo que estava vivo naquele local, naquele dia; e em Deut. 5:13-15, fica claro a guarda do sábado ligada ao tempo de escravidão e a libertação dos judeus do Egito.

Grato pela oportunidade. Que Ilumine a Todos.

Francisco A. de Azevedo disse...

Este comentário fica posicionado corretamente, entre os comentários postados nos dias 18/julho/2009 e o de 21/fevereiro/2010, pois dá início a explicação do Irmão Décio.

Desculpem mas não consegui colocar este comentário abaixo no lugar correto....
===========================
Olá Estimado Amigo Alberto;

Amigo; apenas publique a primeira parte do texto, com o título, que fica antes do meu comentário de 21 de fevereiro 2010, do qual, não foi publicado, e o texto ficou incompleto. o resto pode ficar assim, para explicar a quem leia. eis a parte que falta:

=================================

Os adventistas e a outra parte da lei... dois shabbats ?

Antes de tudo, gostaria de deixar claro aqui que sou apenas um pesquisador e observador e admito que posso estar errado em alguns pontos deste texto. Também não quero generalizar, meus comentários vão para aqueles amigos adventistas que estão sempre prontos a apontar dedos, julgar e interpretar a crença dos outros como errada, e a deles, como a única detentora da verdade absoluta. E não quero aqui focar exatamente a questão da guarda do sábado, mas uma questão que me chama a atenção, é a questão do cumprimento integralmente do 4º mandamento. Lemos no 4º mandamento do decálogo, a frase: “seis dias trabalharás...”

Os adventistas se preocupam tanto com a guarda do sábado, e “esquecem” essa outra parte da lei. ou seja: eles “guardam” o sábado, e “folgam” no domingo, quando a lei fala, que deve haver seis dias de trabalho. Vejam, os adventistas tem dois “shabbats”, um para guardar religiosamente, e outro para folgar, descansar, se divertir, passear; coisa que a Bíblia nunca mostrou.

Observem as passagens Bíblicas:

Vejam, êxodo 20:11 diz: “porque em seis dias fez o senhor o céu e a terra...” (seis dias iguais, de trabalho, Deus não brincou, não se divertiu, não passeou, e principalmente: não descansou, no 1º dia da semana).

Êxodo16:23 diz: “amanhã é repouso,sábado santo ao senhor;” (repouso do dia-a-dia é no sábado. o único dia diferente, é só o sábado. “Amanhã é repouso” , e não: “e depois de amanhã, se quiser, também”).

Êxodo 35:2 afirma: “seis dias se trabalhará...” (seis dias são iguais, seis dias de trabalho!)

Lev. 23:3 diz: “seis dias se fará trabalho...” (novamente, seis dias iguais de rotina, de trabalho!)

Agora vejam, Ezequiel 46:1 deixa bem claro: “eis o que diz o senhor javé: o pórtico do átrio interior que fica fronteiro ao oriente será fechado durante os seis dias consagrados ao trabalho. abrir-se-á no dia de sábado, assim como na lua nova.” Ezequiel 46:1 não deixa dúvidas quanto ao destino dos outros seis dias da semana: consagração ao trabalho! ou seja, eram seis dias úteis, de trabalho, e um shabbat. não eram 5 dias úteis, 1 dia de guarda religiosa e 1 dia de “liberou geral”. não estava escrito: “no 1º dia da semana farás o que quiser, cinco dias trabalharás e guardarás o sétimo”.

E eles mesmos não alertam que o domingo é, como está na bíblia, o 1º dia da semana? a “1ª feira” ? no contexto do quarto mandamento, e em outras passagens do A.T sobre o sábado, vemos que 6 dias são iguais e comuns sendo só o sábado, o dia diferente. mas os adventistas, fazem do domingo um segundo dia diferente.

Anônimo disse...

Bom, depois dessa explicação do Décio,o mais correto seria que o irmão que lhe questionou, voltasse para o estudo da bíblia, que é a luz maior, e largasse de mão dessa vela ou luz menor (Ellem White), que não ilumina em nada a palavra de Deus, mas lhe obscurece, prejudicando totalmente a verdade que nela está.

RICARDO disse...

Boa noite a todos, quero tratar neste site sobre a questão da Lei de Deus.

Em João 5:1-18. Está escrito que Jesus curou o paralítico e o mandou levar sua cama no sábado. Neste fato há uma total inversão do ordenamento contido no Antigo Testamento. Por quê? Porque no AT a transgressão do Decálogo era proibida e levava o homem ou a mulher à morte.
Vejamos alguns exemplos:
A lei do 4º mandamento do decálogo dizia: parar as atividades no shabbat; (Êx 20:8-10) (Dt. 5:12-15) e que:
a) era proibido cozinhar (Êx.16:23).
b) era proibido lavrar, arar, e colher (Êx. 34:21).
c) era proibido fazer fogo (Êx. 35:2-3).
d) era proibido apanhar lenha (Num.15:32-36).
e) era proibido carregar cargas (Jeremias 17:21-22).
f) era proibido praticar o comércio (Neemias 13:15-17.

E estava escrito ainda de forma inequívoca que qualquer um, fazendo qualquer trabalho, qualquer tarefa, seria morto (Êx. 31:14-15) (Êx 35:2),
Qual então deveria ser a reação dos judeus quando o próprio Deus determinou que fossem mortos os transgressores?
Irmãos devemos argumentar com sinceridade, não foi a tradição dos judeus que determinou a morte, por exemplo, pela transgressão do sábado. Isso pode ser provado biblicamente. Vide, novamente ratifico, Êxodo . 31:14-15 e Êxodo 35:2). É NOTÓRIO QUE FOI O PRÓPRIO JEOVÁ QUE DETERMINOU ISSO.
Várias outras transgressões que também feriam o Decálogo eram punidas com a morte como: Adultério, idolatria, assassinato. Tais determinações não eram fruto da tradição humana. Era determinação do próprio Deus. Dizer que os fariseus agiam por tradição humana é desrespeitar o que está escrito no Antigo Testamento.
Diante das determinações de Jeová. O que os judeus fizeram? Simplesmente cumpriam à risca o que havia sido determinado. É verdade que os fariseus eram hipócritas. Porém eram hipócritas porque cobravam as coisas dos outros e não as faziam. Somente por causa disso.
Seria abusivo dizer que eles estivessem errados em relação ao descanso no sábado como entendiam. Haja vista que estavam seguindo o que o próprio Deus havia ordenado por meio do profeta Moisés.
Assim sendo, como os judeus poderiam dizer em João 5:1-18:-“tudo bem, tudo bem, já que você recebeu o milagre da cura, pode carregar sua carga...” Por acaso a lei abria essa exceção? É evidente que não! Estavam errados em relação à cura. Afinal a cura e a ação de amor feita por Jesus não deveria ser criticada pelos fariseus. Entretanto, em se tratando do ordenamento de Jesus para que o ex-paralítico levasse a sua cama. É evidente que a lei estava sendo transgredida. Ver novamente os versos de Êxodo 31:14-15 e Êxodo 35:2 em que o próprio Deus determina a morte de quem fizesse alguma atividade. A DETERMINAÇÃO É DO PRÓPRIO DEUS. POR ISSO É EVIDENTE QUE DEUS MUDA QUANDO QUISER E TEM OS SEUS OBJETIVOS PARA UM DETERMINADO MOMENTO HISTÓRICO.

continua

RICARDO disse...

Continua

Tanto assim que no Novo Testamento, Jesus deu um sentido mais amplo à lei para que a mesma fosse observada em seu devido espírito e de uma nova forma, sem se tornar um fardo para as pessoas. É evidente, por isso que houve mudança no espírito da lei.
Digo isto tomando por base as ações de Jesus no Novo Testamento.
O verso que estou usando como base João 5:1-18 prova isso.
No Antigo Testamento as sanções e determinações tiveram propósitos específicos, novamente ratifico, para aquele momento.
Quando Jesus respondeu ao doutor da Lei em Mateus 22:35-40. Realmente Ele (Cristo) resumiu toda a lei em amar a Deus de todo o coração e ao próximo como a si mesmo.
O Doutor da Lei compreendeu muito bem o que Jesus quis dizer. Tendo em vista que Jesus apenas repetiu o que estava escrito em Deut. 6:5 e em Lev. 19:18.
Até bem pouquíssimo tempo acreditei que Jesus havia resumido os Dez Mandamentos em Mateus 22:35-40. Mas hoje compreendo que tinha entendimento errado.
Na realidade Jesus resumiu toda a lei em: amar a Deus e a amar ao próximo. Por que ratificou o ordenamento que havia no Antigo Testamento? Porque não há pecado que não possa ser classificado, caso negligenciemos o amor a Deus e ao próximo. Só isso.
Vale ressaltar que Jesus, para não deixar quaisquer dúvidas, ainda deu o ordenamento de amarmos uns aos outros como Ele nos amou. Por que nos orientou e nos pediu isso? Porque poderíamos ter a compreensão de que deveríamos amar ao próximo tomando por base o nosso jeito de amar. E essa forma humana de amar não serve, tendo em vista que somos trapos de imundície.
Agora quando tomamos por base Jesus e fazemos Dele o Senhor de nossa vida. Aí sim, poderemos amar o próximo como a nós mesmos, pelos méritos de Cristo.
Creio que os Dez Mandamentos por si só são insuficientes para classificar todas as transgressões. Porém a dificuldade para classificar as transgressões não ocorrem se: 1º não amarmos a Deus; 2º não amarmos ao próximo. Por quê? Porque qualquer transgressão, ISTO MESMO, MAIS UMA VEZ ESCREVO, QUALQUER TRANSGRESSÃO PODERÁ SER CLASSIFICADA.
A afirmação de que o Decálogo não aponto o erro de determinados pecados é tão verdadeira que não é possível, por exemplo, classificar o perdão ao próximo dentro do Decálogo.
Por isso é possível ocorrer de alguém guardar os DEZ MANDAMENTOS E NÃO PERDOAR O PRÓXIMO.
E aí? O que acontece? A pessoa está "guardando os Dez Mandamentos" e não perdoa o próximo.
Tudo o que tenho lido no Novo Testamento mostra que Jesus deu um outro sentido à Lei tornando-a grandiosa = mais espiritual e sem muitos dos fardos que havia no AT, dentro dos objetivos específicos de Deus para aquele momento - e de uma forma diferente no Novo Testamento.
É evidente que como cristãos deveremos refletir os frutos do Espírito de Deus em nossas vidas. Contudo, não unicamente por estarem as orientações contidas no Decálogo mas por estarem contidas no amor ao próximo e a Deus, os quais nos foram ensinados em toda a sua plenitude por Jesus. Esta lei é muito mais ampla e todos nós seremos julgados um dia por ela.

Que possamos testemunhar do amor de Cristo por nossas palavras e pela maneira como tratamos ao próximo.

Que Deus abençoe a todos nós.

marcelo valle disse...

Alberto,

Ainda permanece entre os adventistas do 7 dia, o velho argumento de que o sábado possui "validade eterna" porque teria sido instituido no genesis. O referido texto (Gen 2:1-3) não institui nem ordena guardar o sábado. Não é possível que os adventistas não enxerguem ( ou enxerguem demais) o texto....saudações em Cristo!! Marcelo Valle

marcelo valle disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.